No Brasil e em diversos outros países, a área da construção civil tem um papel importantíssimo no desenvolvimento da economia. Os números referentes ao crescimento da área, porém, não são suficientes para mensurar a qualidade dos serviços prestados.

Nesse aspecto, o sucesso está intimamente ligado à satisfação dos clientes e à segurança dos projetos arquitetônicos. Essas medidas garantem qualidade no trabalho. Para determinar a qualidade no setor, foi criado o índice de qualidade na construção civil.

Para que fosse possível unificar esse índice em todo o território nacional, em 1998 foi criado o Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade no Habitat (PBQP-Q), que utiliza instrumentos de medição e acompanhamento na avaliação dos empreendimentos de empresas e empreiteiras.

De forma clara e concreta, os indicadores previstos no PBQP-Q demonstram o processo de execução da obra, quais etapas precisam ser revistas e as decisões que devem ser tomadas para que a qualidade do trabalho se sobreponha a qualquer outra ação.

Por isso, o índice de qualidade na construção civil também prevê ações de melhoria na produtividade, tais como:

• Readequação às normas de segurança no trabalho;

• Qualificação profissional para os trabalhadores;

• Elaboração de relatórios;

• Diminuição dos desperdícios.

Fatores que interferem no índice de qualidade na construção civil

Ao colocar essas ações em prática, há redução de custos e acidentes e melhoria dos serviços prestados, o que coloca os projetos de construção civil em outro patamar. Afinal, o bom desempenho gera um público satisfeito e reconhecimento no mercado. Como consequência, os empresários podem ampliar os seus negócios.

Para mensurar a qualidade e atingir as metas, alguns fatores devem ser seguidos, como:

Cumprir prazos: o prazo é fundamental para a satisfação dos clientes. Mesmo que fatores externos possam interferir no projeto, isso já deve estar previsto na hora da elaboração.

Previsão do percentual de terceirização dos serviços: caso a empresa não possa prestar todos os serviços previstos em uma obra, ela deve buscar empresas terceirizadas. Os prazos acordados, no entanto, devem permanecer os mesmos.

Controle da produtividade: os trabalhadores precisam apresentar relatórios que indiquem a produtividade e o andamento do projeto. Caso a produtividade seja baixa, é preciso reavaliar condições de trabalho e o nível de qualificação da mão de obra, pois tudo isso influencia no índice de qualidade na construção civil.

Controle de desperdício: é fundamental verificar se está ocorrendo algum desperdício, pois os clientes podem se sentir prejudicados com esse tipo de atitude, afinal, isso gera aumento dos gastos. Portanto, é importante estabelecer um sistema de gestão, responsável por fazer o levantamento e o acompanhamento dos dados.

Controle dos impactos ambientais: saber como a obra impacta no meio ambiente e na própria vizinhança é um ponto primordial para qualquer projeto. É preciso respeitar as normas ambientais. Por exemplo, o consumo de água por área e a geração de resíduos devem ser considerados.

Você é prestador de serviços e ficou com dúvidas se está fazendo um bom trabalho? Nós prestamos assessoria jurídica para pequenas e médias empresas, especialmente na área tributária, e podemos sanar todas as suas dúvidas. Entre em contato pelo WhatsApp (51) 98478-4028.

CategoryTributário

© 2014 LIGIANE FERNANDES | ADVOCACIA

logo-footer

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS